Noticias

Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig) está com inscrições abertas para contratação de profissionais para atuar nos cursos técnicos e de qualificação profissional que serão oferecidos em 2021. São 8 vagas de apoio às atividades acadêmicas e administrativas; 11 vagas para orientador; 4 para supervisor de curso; 1 para coordenador de polo; e 1 vaga para equipe multidisciplinar – designer, totalizando 25 vagas abertas.

As funções podem ser exercidas por diversas formações profissionais, e as aulas estão previstas para iniciar em fevereiro do próximo ano. 

Os interessados podem se inscrever até o dia 11/12/2020, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Outra opção é presencialmente, na sede da Utramig (Avenida Afonso Pena, 3400 – Cruzeiro – Belo Horizonte).

- Para acesso ao edital e outras informações: clique aqui.

Perfil

Segundo o diretor de Qualificação e Extensão, Rogério Massensini, a Utramig busca profissionais que estejam preparados para as exigências do momento. “Procuramos formar uma equipe comprometida com o ensino profissionalizante e atenta para as especificidades do mercado de trabalho atual", explica.

Os profissionais vão atender alunos que estão em busca de uma qualificação profissional. “A realidade já não é mais a mesma de anos e meses atrás, mas o aprendizado de uma profissão ou de uma qualificação profissional continua sendo uma forma de se inserir e se manter no mundo do trabalho”, assinala.

Cursos em 2021

A Utramig projeta atendimento a quase mil alunos, no próximo ano, nos cursos técnicos de Análises Clínicas, Enfermagem, Eletrônica, Informática, Multimídia, Segurança do Trabalho, Sistemas de Transmissão e nos cursos de qualificação de Programador Web, Visual Gráfico, Assistente Administrativo, Cuidador de Idoso, Almoxarife, Auxiliar de Laboratório de Saúde, Recepcionista em Serviços de Saúde, Recepcionista e Libras.

Trabalhadores autônomos e pessoas que estejam interessadas em contratar prestação de serviços têm um novo aliado para possibilitar essa intermediação. Os aplicativos do Contrata MG, ofertados pelo Governo de Minas por meio da Subsecretaria de Trabalho e Emprego (Subte) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com a startup Crafty, já estão disponíveis gratuitamente na Google Play e na App Store, e já possuem quase 3 mil profissionais cadastrados em todo o estado. 


Através de um cadastro simples, onde são inseridas informações pessoais, dados de contato, endereço e documentação para validação de identidade, o prestador fica disponível para ser contactado por pessoas que se interessam pelo tipo de trabalho que ele está oferecendo. Atualmente, o Contrata MG já possui mais de 100 ocupações disponíveis para escolha, como diarista, cuidador de idosos, recepcionista, dentre outros. Somente na Região Metropolitana de Belo Horizonte são 921 profissionais dos mais variados segmentos, de acordo com dados do Contrata MG.

A integração entre os prestadores de serviço e os potenciais contratantes ocorre por meio de dois aplicativos: o Contrata MG Para Trabalhadores, destinado exclusivamente para os profissionais que desejam oferecer serviços; e o Contrata MG, destinado às pessoas que estão em busca de profissionais autônomos. Quando o cadastro do trabalhador está ativo, os contratantes conseguem vê-lo tanto nas pesquisas por profissionais no aplicativo, quanto em buscas no site. Também é possível utilizar os filtros do app para selecionar o profissional com base na distância, preço da diária, tipo de serviço e disponibilidade de horário.

Quando o interessado em contratar algum serviço se interessa pelo perfil de um trabalhador, toda a interação acontece por meio dos aplicativos. O contratante solicita um orçamento, informando detalhes do serviço a ser realizado, e na mesma hora o prestador recebe uma notificação no seu smartphone. A partir disso, ambos podem conversar no chat para obterem mais detalhes ou solucionarem dúvidas. O prestador pode escolher se envia um orçamento, ou recusa o atendimento - funcionalidade que também é permitida ao contratante, que pode escolher aprovar ou rejeitar o orçamento enviado. Se ambas as partes se interessarem pelos termos, uma ordem de serviço será gerada pelo app, e tanto contratante quanto prestador poderão acompanhar o andamento daquela prestação de serviços diretamente pelo aplicativo, que envia notificações periódicas para os celulares de ambos.

Ao final da realização do serviço, contratantes e prestadores de serviços se avaliam nos respectivos aplicativos, de forma que outros usuários consigam ver essas avaliações para futuras interações. É importante todos seguirem esse processo completo no aplicativo Contrata MG para fomentar a construção de uma grande rede de prestação de serviços em Minas Gerais.

Todo o processo é realizado sem qualquer custo, tanto para prestadores quanto para contratantes. Basta fazer o download dos aplicativos - que estão disponíveis na Google Play e na App Store - conforme o interesse de uso e realizar o cadastro exigido. Mais informações e orientações estão disponíveis no site do programa, e também nas redes sociais da Sedese.

A Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig) comemorou, no dia 25 de novembro, 55 anos de criação, com forte destaque na atuação para o ensino profissional. Criada com a missão de formar profissionais com foco na educação integral do cidadão, visando sua autonomia e inserção no mundo do trabalho, a história da Fundação e as projeções para o seu futuro são motivos para essa celebração.

Para a presidente, Patrícia Braga Soares Silva, uma das razões para celebrar é que mesmo em períodos desafiadores a Fundação não se afastou de perseguir sua vocação com qualidade e competência. “A persistência e a perseverança de todos que estão envolvidos com a Utramig permitiram que a instituição atravessasse essas turbulências, apontando para aquilo que oferece com excelência: educação profissional para que cada pessoa seja protagonista de sua própria história”, enfatizou. Outro motivo importante para celebrar, salienta a gestora, “ é vislumbrar um futuro ainda mais promissor para a Utramig, pois, à medida que a especialização do trabalho se intensifica, a demanda por qualificação profissional também se aquece, e, neste contexto, é muito oportuno constatar que a Fundação está preparada para ofertar cursos profissionalizantes para todos os mineiros”.

O Subsecretário de Trabalho e Emprego, Raphael Vasconcelos Amaral Rodrigues, avalia que quando se fala de educação profissional, “pensamos na ampliação da capacidade dos cidadãos em gerar seu sustento, contribuir com o desenvolvimento da nossa sociedade e, em última instância, alcançar seu potencial, viabilizar sua autonomia e viver uma vida mais digna”.

Para ele, a Fundação é sinônimo de evolução e modernização. “Grande parceira da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social no desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidência, a Utramig vem utilizando-se do Mapa de Demanda por Qualificação Profissional, desenvolvido por nossa Secretaria, para definição e pactuação de sua carteira de cursos” salientou Raphael, acrescentando a contribuição da instituição para o “Programa Descubra!”, que vai priorizar o atendimento a jovens em situação de vulnerabilidade na oferta de qualificação profissional. “Essas e outras ações são desenvolvidas em conjunto, de maneira colaborativa e sempre com foco no desenvolvimento social do nosso Estado”, elogiou o subsecretário.

Estruturada para ofertar educação profissionalizante nas mais diversas modalidades, tanto de ensino presencial quanto de ensino à distância, a Utramig está preparada para as necessidades dos tempos atuais, com diversificação no formato dos cursos e metodologias de aprendizado, especialmente neste momento atual em que estamos enfrentando uma pandemia. “A formação técnica e a qualificação profissional são pontos importantes para inserção no mundo de trabalho e serão cada vez mais fundamentais para atender às necessidades de um mercado em permanente transformação, que exige técnicos que acompanhem o desenvolvimento das tecnologias em suas diversas aplicações e profissionais com qualificações versáteis”, elenca Rogério Massensini, Diretor de Qualificação e Extensão da Utramig. Para ele, a experiência consolidada ao longo destes 55 anos, a qualidade, a variedade, a flexibilidade na oferta dos cursos e “a eficiente equipe de servidores podem garantir que a Utramig continue a ser referência em educação profissionalizante”

Hoje são ofertados seis cursos técnicos de nível médio: Análises Clínicas, Eletrônica, Enfermagem, Informática, Multimídia, Segurança do Trabalho e Sistema de Transmissão, com previsão de novas especialidades técnicas para 2021. “O curso técnico é uma forma relativamente rápida para o ingresso e recolocação do jovem ao mundo do trabalho. As rápidas transformações tecnológicas, sociais e do mundo do trabalho levaram a mudanças nos perfis de profissionais, que devem ser pessoas versáteis, qualificadas e antenadas para as novidades e exigências do mercado”, diz o diretor.

Um breve recorte da trajetória institucional

Criada em 1965, com a missão de coordenar, orientar e supervisionar o sistema de ensino técnico do Estado de Minas Gerais, a memória da Utramig mistura-se com a história do ensino profissional público em Minas Gerais. Em 1972, criava seu Centro de Educação Técnica (CET), com base na Lei Federal nº 4.024 de 1961, destinado a formação de professores em disciplinas específicas do ensino técnico, quando existiam apenas 8 CETs em todo país: Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Brasília, Minas Gerais (Utramig), Nordeste, Amazônia e Bahia. A partir de então, convivia na Utramig as duas principais modalidades de oferta de cursos profissionalizantes em que a Fundação se especializou: a habilitação profissional de estudantes de 2º grau e a formação de profissionais para o trabalho docente.

A partir de 1977, a Fundação passa a firmar convênios com outras instituições ampliando a oferta de cursos para além de Belo Horizonte. Naquele ano, houve a autorização de funcionamento das habilitações profissionais, em nível de 2º grau, em Sabará. Em 1979, há a criação do Centro Técnico Interescolar da Utramig – CINTER/UTRAMIG, destinado à formação de jovens e adultos para o exercício profissional de atividades técnicas na indústria, comércio e serviços, em regime de Inter complementaridade com estabelecimentos de 2º grau e a Fundação se fez presente ampliando a oferta de seus cursos técnicos de nível médio para os municípios de Vespasiano (1980), Nova Lima (2006), Lagoa Santa (2010) e Uberlândia (2014).

Em 2015, deu-se início à oferta de cursos técnicos de nível médio na modalidade EAD na Utramig, o que possibilitou ampliar ainda mais as nossas ações.

Ao longo dos seus 55 anos, a Utramig já formou mais de 47.000 técnicos, habilitou mais de 3.500 professores e ofertou mais de 16.000 cursos de capacitação de curta duração, presenciais e a distância, atuando em mais de 350 municípios do nosso Estado.

Qualificação profissional para todos

Além de reconhecida como escola técnica, a Utramig também é referência na execução de cursos de qualificação profissional. Ao longo dos 55 anos, a Fundação ofertou cursos presenciais de curta duração em todas as regiões mineiras. O percurso destas capacitações ofertadas seguiu as dinâmicas de trabalho e renda de cada época e região: de manejo de galinhas para comunidades tradicionais a programação mobile para jovens em situação de vulnerabilidade, a Utramig realizou cursos focados na realidade do aluno e em sintonia com as políticas públicas de promoção de emprego e melhoria de vida.

“A qualificação profissional tem entre suas funções iniciais a de abrir horizontes, de vislumbrar outras possibilidades”, pontua a presidente da Utramig. Ela acrescenta que, neste sentido, os cursos de qualificação têm um papel fundamental para o cenário atual, em que muitas pessoas perderam empregos e formas de ganhar a vida. Para Patrícia Braga, “a qualificação profissional abre novas possibilidades de trabalho, de renda e devolve a autoestima, ainda mais depois desse período, em que algumas funções praticamente deixarão de existir”.

Patricia Braga explica que a Utramig já tem quase mil vagas pactuadas no Ministério da Educação (MEC), pelo Programa Novos Caminhos. “Esperamos em 2021 estar com a Fundação cheia de alunos, assim que for permitido o retorno presencial das atividades - ou mesmo continuando com o ensino remoto. Além disso, estamos intensificando, em conjunto com a Subsecretaria de Trabalho e Emprego da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedese), a articulação entre os diversos atores da Rede de Educação Profissional de Minas Gerais e outras iniciativas do governo com foco na educação profissional, como o projeto Minas Programando, que é uma das estratégias que vai atuar na redução das desigualdades, evidenciadas a partir dos estudos do Caderno Setorial de Emprego e Qualificação. A iniciativa visa a formação e qualificação de programadoras, desenvolvedoras e outras profissionais do segmento de Tecnologia, Informação e Comunicação (TIC)”, disse a presidente.

Histórias que se entrelaçam na Utramig

Muitas vidas foram atravessadas pelos 55 anos da Utramig, mas nenhuma tanto quanto a de Geralda de Fátima dos Santos – ou Fatinha, como é conhecida por todos, que vivenciou toda a sua trajetória profissional na instituição. A mãe trabalhava na Utramig, quando ainda era na rua Joanésia e levava os filhos ao serviço aos sábados para depois passear pela cidade.

A proximidade que marcou a infância se aprofundou na adolescência: período no qual cursou o ensino médio, antigo 2º grau, e o técnico. “Entrei para estudar na Utramig em 1983, para fazer o curso técnico de Patologia Clínica”, conta Fatinha, fazendo questão de frisar que “apesar de ser filha de funcionária, não tinha nenhum privilégio em relação aos professores e demais funcionários”.

A conclusão desta etapa na Utramig coincide com uma nova fase na vida: o nascimento do 1º filho, Rafael. “Eu fui mãe logo após a formatura, o que me impediu de fazer o estágio do curso, pois quem havia tido filho há pouco tempo não podia trabalhar em laboratório”, detalha. Neste momento, a Utramig abre as portas novamente para ela. “Abriram uma cantina terceirizada na escola, e me convidaram para trabalhar lá. Aceitei e já voltei pra Utramig”.

Depois da cantina, Fatinha foi trabalhar como office-girl e, posteriormente, de telefonista. “Me dei muito bem nesta área. A telefonista era como a secretária hoje, todas as ligações passavam por mim. Gostava porque me comunicava com todo mundo. Muitas pessoas me elogiavam, então ficava bem feliz com esse reconhecimento”, relembra. Em 2011, mais uma mudança: área de Pessoal.

Trabalhar em vários setores, desempenhando distintas funções é uma marca no histórico de atuação de diversos servidores e ex-servidores.

Quando questionada sobre o que é a Fundação em sua vida, Fatinha não poupa adjetivos: “a Utramig é tudo. Eu não conheci outro lugar. Eu comecei a estudar. Conheci meu marido aí. Tive meus filhos trabalhando na Utramig. Só conheço a Utramig na minha vida. Foi uma experiência maravilhosa. E fico até com medo de aposentar, pois todas as alegrias que tive na minha vida teve a Utramig por trás. Logicamente, não foram só momentos felizes, mas mesmo os difíceis me ajudaram também”.

O futuro da Utramig

A presidente Patrícia Braga acredita que, assim como todas as instituições, a Utramig deve estar atenta aos movimentos da sociedade, e deve buscar novas formas de financiamento para o ensino profissionalizante, além de “manter atualizada a oferta de cursos de acordo com as demandas da sociedade e ampliar a oferta de ensino a distância, especialmente para cursos técnicos e de qualificação. Outro desafio é alinhar a oferta de cursos ao projeto do Novo Ensino Médio, que dá mais autonomia para o aluno escolher o que deseja estudar”.

Patrícia destaca que as ações implementadas atualmente, como a readequação dos cursos ofertados e a organização dos processos internos, vão permitir que a Utramig complete 60 anos ainda mais fortalecida. A presidente acredita que a Fundação vivenciará muitas formaturas, momento considerado especial “O momento de formatura sempre foi especial para mim, desde o tempo em que propunha e executava os cursos de qualificação como servidora da Diretoria de Qualificação e Extensão. A celebração de certificação dos alunos geralmente é acompanhada de uma sensação de dever cumprido, de ter dado a melhor destinação possível aos recursos públicos, investidos em educação e na geração de trabalho e renda do Estado. Além disso, a alegria e gratidão dos alunos e familiares, revigora nossos ânimos e nos enche de estímulos positivos para continuar e aperfeiçoar nossa ação de formar novos profissionais e cidadãos, dando a possibilidade de mais pessoas enxergarem um novo horizonte”.

Mais de 900 mil famílias mineiras já receberam as duas primeiras parcelas do Renda Minas, programa de transferência de renda do Estado, destinado a complementar o auxílio emergencial do governo federal para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Ao todo, foram transferidos mais de R$ 206,2 milhões para 929.746 famílias abaixo da linha da pobreza. Ao todo, serão beneficiados em Minas 2,8 milhões de pessoas.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) concluiu, nesta segunda-feira (30/11), o pagamento do Renda Minas referente aos meses de outubro e novembro, primeira etapa do programa. A próxima parcela começa a ser paga dia 7 de dezembro.

Têm direito ao benefício as pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal, o CadÚnico, até 11 de julho de 2020. As famílias também têm que se enquadrar na condição de extrema pobreza, aquelas cuja renda por pessoa não ultrapasse os R$ 89 mensais.

Para saber se está dentro dos critérios para receber o benefício, basta acessar o site do programa (www.rendaminas.mg.gov.br) e fazer a consulta por meio do CPF ou pelo Número de Inscrição Social (NIS).

Os pagamentos do Renda Minas serão feitos pela Caixa Econômica Federal.  Os depósitos cairão automaticamente nas contas já existentes de beneficiários, como poupança, conta simplificada e poupança social digital (conta digital, movimentada por meio do aplicativo Caixa Tem).

No total serão três pagamentos, em duas parcelas. A segunda, correspondente ao mês de dezembro, será quitada a partir dia 7. Apenas o titular e responsável pela família terá acesso ao Renda Minas. Em nenhuma hipótese o benefício será pago em contas de terceiros.

Cada família terá direito a três parcelas do benefício do Renda Minas. Logo, o benefício total por família é igual ao valor mensal da parcela multiplicado por 3. Então, uma família que possui 3 pessoas cadastradas no CadÚnico receberá, ao todo, R$ 117 x 3 = R$ 351.

Rejeição

Excluindo as famílias com pendências cadastrais, o índice de rejeição de pagamento do Renda Minas foi de apenas 2,5%, o que significa que 97% das famílias conseguiram ter acesso ao benefício e estão com o valor depositado na conta.

A Sedese também já está tomando as providências para abrir as contas dos responsáveis familiares menores de idade, indicar ou abrir novas contas para as famílias com pagamentos rejeitados, além de fazer uma nova tentativa para a abertura de conta para as 22 mil famílias sem documentação.

Para esclarecimentos gerais sobre o programa, a Sedese disponibiliza o email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Confira o calendário de pagamento

 

 

 

Antônio Cruz / Agência BrasilMinas Gerais registra saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada pelo quinto mês consecutivo. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, o estado gerou 42.124 postos de trabalho formais, resultado da admissão de 163.934 trabalhadores e do desligamento de 121.810 naquele mês. No acumulado de janeiro a outubro, o saldo de vagas chegou a 5.340, com 1.298.458 contratações e 1.293.118 dispensas de empregados.


No país, Minas é o segundo estado no ranking de geração de empregos. “Pelo quinto mês seguido, Minas Gerais apresentou saldo positivo na geração de postos de trabalho com carteira assinada. Os números do Caged apontam a abertura de mais de 42 mil vagas em outubro. Somos o segundo estado que mais gerou empregos no mês passado, fato que muito nos alegra. Isso mostra que, apesar das dificuldades, os esforços da nossa gestão para desburocratizar e facilitar a vida de quem quer investir e criar empregos estão dando resultados”, disse o governador Romeu Zema.

Já a diretora de Monitoramento e Articulação de Oportunidades de Trabalho da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Amanda Siqueira Carvalho, avalia que "esse resultado aponta para um início da retomada econômica e é resultado também da flexibilização das medidas de isolamento social em boa parte dos municípios. A retomada das atividades econômicas nos municípios segue as recomendações do Minas Consciente, programa do governo mineiro para garantir a reabertura desses segmentos de forma segura, respeitando os protocolos de Saúde para evitar a propagação da covid-19.

Desempenho

O saldo de empregos em outubro superou o desempenho do estado em setembro de 2020, quando foram gerados 36.505 postos de trabalho. O resultado também foi positivo, em comparação com outubro de 2019, quando foi registrada a abertura de 12.282 vagas de emprego.
Em relação às demais unidades da Federação, Minas ficou em segundo lugar no ranking de melhores saldos de emprego, atrás apenas de São Paulo (119.261 postos de trabalho).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Setores


Na análise setorial, os serviços registraram o melhor desempenho em outubro, com saldo de 17.013 vagas de emprego. Em seguida, estão a indústria (10.619), o comércio (10.282) e a construção civil (5.909). Apenas o setor agropecuário registrou o fechamento de 1.699 postos de trabalho.

Brasil

No Brasil, também em outubro, houve a criação de 394.989 postos de trabalho formais, o quarto mês com saldo positivo de vagas e o melhor resultado neste ano. O desempenho é resultado de 1.548.628 admissões e 1.153.639 desligamentos. No acumulado de janeiro a outubro, houve o fechamento de 171.139 postos de trabalho, com 12.231.462 contratações e 12.402.601 dispensas no período.

Por setor de atividade econômica, no país, houve saldo positivo em quatro grupos: indústria geral (86.426 postos), concentrados na indústria de transformação (82.665 postos); construção (36.286); comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (115.647); serviços (156.766), distribuídos principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (103.443). Apenas o setor de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura registrou saldo negativo, com a perda de 120 postos de trabalho.

 

LOGO BRANCA

 

   Selo OGE

 

 

 

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social - SEDESE

CNPJ: 05.465.167/0001-41

 

Endereço:

Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves 

Rodovia Papa João Paulo II, 4.143

Prédio Minas, 14º andar

Bairro Serra Verde - Belo Horizonte/MG

CEP: 31630-900

 

Siga nossas redes:

 facebook     twitter instagram   

 

Horário de funcionamento:

08:00h às 18:00h 

 

Aspectos legais e responsabilidades

Política de Privacidade