A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) garantiu no último dia 30 de setembro o pagamento de mais R$ 3,072 milhões às entidades da rede socioassistencial que ofertam acolhimento institucional a jovens e adultos com deficiência em Minas Gerais, por meio das Casas Lares. Este programa é executado atualmente por meio de parcerias firmadas entre a Secretaria e 29 Organizações da Sociedade Civil no Estado na oferta de acolhimento a 330 jovens e adultos com deficiência, em 45 unidades, localizadas em 26 municípios.

Neste ano, até o dia 30 de setembro, já foram pagos pela Sedese R$ 6,144 milhões. Como a quitação ocorre a cada cinco meses, a última parcela – também no montante de R$ 3,072 milhões – havia sido paga em abril.

Desde que assumiu a pasta, em janeiro deste ano, a secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, vem se empenhando para equacionar o pagamento de pendências financeiras herdadas da gestão anterior. Ainda em janeiro, conseguiu efetuar a quitação do passivo de R$ 2,641 milhões às 29 entidades socioassistenciais parceiras do Estado, colocando assim em dia os repasses.

Dessa forma, o Estado regularizou os repasses previstos e mantém o compromisso de pagamento em dia, tendo em vista a importância do serviço prestado pelas entidades, assim como a preocupação com o bem-estar e a proteção social das pessoas nelas acolhidas.

As parcerias com as entidades tiveram início em 1996, com a extinção da antiga Fundação Estadual de Bem-Estar do Menor (Febem). A partir desse processo de desinstitucionalização, as crianças e adolescentes com deficiência necessitavam permanecer integralmente aos cuidados do Estado.

No serviço de acolhimento institucional das Casas-Lares, os jovens e adultos com deficiência e sem condições de auto sustentabilidade, contam com uma estrutura física adequada, atendimento personalizado, com favorecimento do convívio familiar.