A Central de Autônomos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), que funciona no 14º andar do Prédio Minas da Cidade Administrativa, tem garantido a intermediação de mão de obra e a geração de renda para os trabalhadores autônomos. Atualmente, existem 154 profissionais cadastrados no sistema, como cozinheiras, faxineiras, lavadeiras, passadeiras e profissionais de serviços gerais.

No primeiro trimestre deste ano, já foram realizados 72 encaminhamentos, sem levar em consideração os retornos agendados. Em todo o ano passado foram 301 atendimentos somente em Belo Horizonte. Hoje, a Central de Autônomos está em pleno funcionamento também nos municípios de Betim, na Região Metropolitana de BH, e em Itabira, na região Central do Estado.

A Sedese pretende ampliar o serviço para outras unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine), órgão vinculado à própria Secretaria. Já estão capacitados para implantar a Central de Autônomos os municípios de Brumadinho, onde ocorreu a tragédia com o rompimento da barragem da Vale em janeiro deste ano, e as cidades de Igarapé, Patrocínio, Ribeirão das Neves e Barão de Cocais.

Os interessados em contratar o serviço na capital mineira devem entrar em contato com a Central de Autônomos no número (31) 3916-9077. O contratante deve desembolsar uma diária de R$ 100 para 8 horas trabalhadas, além de arcar com o custo do vale transporte. No interior do Estado, no entanto, o valor da diária pode ser um pouco menor, dependendo da economia local. Vale lembrar que esse serviço disponibilizado pela Sedese é totalmente gratuito tanto para os solicitantes quanto para os diaristas.

Ao criar a Central de Autônomos, a intenção da Sedese foi a de contribuir para a geração de renda e inclusão produtiva desses trabalhadores. Atualmente, o cadastro de profissionais se encontra fechado, mas à medida que essas pessoas conquistam a sua própria clientela, vão dando oportunidades para que novos autônomos possam ingressar no serviço.

A Central de Autônomos faz a intermediação oferta e demanda de oportunidades de serviços, contribuindo para que o trabalhador autônomo construa sua própria rede de contatos e clientes, dessa forma vão dando oportunidades para que novos profissionais possam ingressar no serviço.

Todos os profissionais da Central de Autônomos antes de começarem a prestar os serviços são submetidos ao curso de “Competências Profissionais e Sociais para o Trabalhador” da Sedese, onde recebem informações sobre ética profissional, comportamento organizacional, além de noções de marketing pessoal e profissional. Durante a capacitação, eles são alertados também sobre a importância de se contribuir individualmente para a Previdência Social, como Microempreendedor Individual.

Histórico

A atual Central de Autônomos surgiu em Belo Horizonte em 1993 como Central de Diaristas do Sine Timbiras. De 2000 a 2009, passou a funcionar no antigo Posto de Serviço Integrado Urbano (Psiu) da Praça 7. De 2010 até o final do ano seguinte, o projeto foi interrompido, sendo retomado em 2012, no Sine Santa Efigênia, como Central de Prestação de Serviços (CPS). De janeiro de 2014 a junho de 2017 passou a se chamar Central de Prestação de Serviços do Trabalhador Autônomo (CPSTA), com funcionamento na Unidade de Atendimento ao Trabalhador (UAT) do bairro Gameleira. No entanto, desde julho de 2017 está funcionando na na Cidade Administrativa como Central de Autônomos.