Representantes do Governo de Minas Gerais trabalham em várias frentes, em Brumadinho, para tratar do atendimento emergencial e continuado às famílias atingidas pelo rompimento da Barragem Mina do Feijão. Os órgãos públicos cobram prontas respostas da Vale, empresa responsável pelo empreendimento.

Também participam deste trabalho de atenção aos familiares de vítimas mortas e de desaparecidos, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, a Prefeitura de Brumadinho, membros dos Ministérios Públicos da União e do Estado e Defensoria Pública. Além do representante de pessoas atingidas, Deusdeti da Rocha. Na quinta-feira (7/2), houve reuniões entre todas essas partes que interagem no trabalho assistencial às famílias.

Crédito: Divulgação/SEDESEA secretária de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, disse que, além do atendimento emergencial aos afetados, ações futuras também precisam ser planejadas. Jucá lembrou que a secretaria acompanha as providências que estão sendo tomadas para o início das aulas no município.

“As crianças precisam de um acolhimento especial. Estamos trabalhando diariamente, desde o rompimento da barragem, monitorando as ações e levando as demandas da comunidade à Vale. Organizamos todas as questões de Assistência Social e Direitos Humanos e continuaremos apoiando a prefeitura”, destacou.

A secretária lembrou ainda que a pasta está realizando registros dos afetados, sobretudo dos desalojados, para articular o atendimento das solicitações com órgãos parceiros.  Até hoje, 887 pessoas foram registradas nos formulários aplicados pela equipe técnica da secretaria. Os dados estão sendo sistematizados e entregues ao município para haver o atendimento emergencial, e também continuado às famílias atingidas.

Enviar para impressão