Na Reunião Ampliada do Colegiado de Gestores Municipais de Assistência Social de Minas Gerais (Cogemas), realizada no dia 6 de abril, na PUC/Minas, em Belo Horizonte, a subsecretária de Assistência Social, da  Sedese, Simone Albuquerque, falou  dos direitos da população, assegurados  nas políticas sociais, e da trajetória percorrida.

"É preciso entender o caminho que o Suas percorreu para acabar com o clientelismo.  Temos de entender que o modelo de financiamento tem que ser superior ao clientelismo, ter sede própria e, realmente, um lugar burocrático".

Com a presença de 180 gestores da assistência social de 95 municípios mineiros, o debate girou em torno do tema:  “Gestão Financeira e Orçamentária no Suas: concepção e experiências municipais". "As políticas devem ser planejadas, organizadas, inclusive alinhadas com o desenho operacional previsto na Política Nacional de Assistência Social, afirmou a diretora de Gestão do Suas, da prefeitura de Belo Horizonte, Isabela Vasconcelos.

De Paracatu, região noroeste de Minas, o assessor de Assistência Social da prefeitura, Eduardo Costa Pinto, estima que 70% dos municípios mineiro não têm gestão financeira para acompanhar os repasses. Ele informou que o município estuda alternativas, como a implantação de um banco de fomento e um programa de renda mínima para apoiar os usuários. "Ou refortalecemos as famílias, ou a situação vai ficar pior", afirmou.

De Machacalis, a 200 km de Montes Claros, o secretário Municipal de Assistência Social, Diego Soares, reconheceu a importância do evento, principalmente para os municípios de pequeno porte. "As cidades de pequeno porte ficam afastadas dos grandes centros e das informações. Aqui a gente se atualiza e recebe orientações de como agir neste momento de crise. Com o atraso de algumas parcelas do governo federal para os serviços socioassistenciais, estamos em dificuldades de concluir nossos projetos", afirmou.  

“Estas reuniões ampliadas trazem debates importantes sobre a consolidação e efetivação do Suas. O Cogemas nos orienta sobre os caminhos que devemos percorrer”, concluiu o secretário. O próximo encontro do Cogemas está marcado para julho, em Belo Horizonte.