Foto: Omar freire - Imprensa/MG

Minas Gerais ficou em segundo lugar no ranking de contratações de menores aprendizes, com o ingresso de 39.139 jovens no mercado de trabalho de janeiro a novembro de 2017, segundo dados preliminares divulgados pelo Ministério do Trabalho. O estado que mais contratou foi São Paulo, com 102.300 admitidos. O Rio de Janeiro ficou em terceiro lugar, com a geração de 33.453 vagas de emprego. No total, o Brasil contabilizou o ingresso de 369.676 jovens no mesmo período.

Foto: Omar freire - Imprensa/MGDe forma geral, os setores que lideraram a contratação de aprendizes no país no ano passado  foram o comércio (93.469 admissões) e a indústria de transformação (92.248 vagas). Já entre as ocupações,  a que mais garantiu oportunidades de trabalho foi auxiliar de escritório (147.747 vagas), seguida de assistente administrativo (67.341). As duas áreas estão nas primeiras posições no ranking de contratações e representaram quase 60% das  admissões.

A Aprendizagem Profissional foi instituída pela Lei 10.097/2000 e regulamentada pelo Decreto 5.598/2005. A legislação determina a contratação de jovens entre 14 e 24 anos, matriculados em escola ou curso técnico. Em relação às  Pessoas com Deficiência (PcDs) não há limite de idade.  A remuneração é proporcional às horas efetivas de trabalho, utilizando como base o salário mínimo vigente. Além de combater a precarização do trabalho infantil, o programa é uma oportunidade para que os jovens alcancem um futuro profissional promissor.

Projeto Trampos

OFS curso confeitariaEm Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) tem investido também na formação de jovens para o mundo do trabalho. No ano passado, o Projeto Trampos, uma das linhas de ação do Programa Juventudes, beneficiou mais de 1.000 jovens com cursos em áreas confeitaria, mecânica de motos e produtor de eventos, entre outros,  nos municípios de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Ribeirão das Neves e Passos.

O Trampos é um dos principais programas do Estado voltado para a emancipação, autonomia, proteção e inclusão produtiva de jovens de 15 a 29 anos, moradores principalmente de regiões com alta vulnerabilidade e risco social.

OFS tabela