O processo de Regionalização dos Serviços de Proteção Social Especial em Minas Gerais é resultado de um longo trabalho que envolveu diversas instituições, além da equipe técnica e de gestão da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social - SEDESE.
O desenho da Regionalização no estado foi concebido na perspectiva da gestão compartilhada, propondo mecanismos de participação de gestores e trabalhadores do SUAS, bem como do Sistema de Garantia de Direitos, sobretudo do Sistema de Justiça.
Para além dessa diretriz fundamental, a proposta dos serviços regionalizados também se coaduna com a atual conformação do Estado, organizado em Territórios de Desenvolvimentos, que, em linhas gerais, reordenam as regiões mineiras considerando, entre outros aspectos, a identidade social, cultural e socioeconômica dos municípios.
A estratégia da regionalização em sua dimensão de gestão possibilita a formulação de políticas públicas mais identificadas com as necessidades locais e regionais.
Assim, não se trata apenas de criar uma unidade espacial. Assim, regionalizar significa integrar ações e responsabilidades pactuadas pelos três entes federativos com a participação dos órgãos de controle social, orientados pelas especificidades e pela dinâmica de cada região.
A regionalização dos serviços implica, portanto, uma ampliação da cobertura da Proteção Social Especial no Estado em resposta à demanda de atendimento aos indivíduos e famílias em situação de risco e vulnerabilidade social.
A tarefa desenvolvida até aqui propiciou também o reconhecimento de que outros desafios deverão ser enfrentados em relação às temáticas fundamentais no âmbito do SUAS concomitantemente a implantação dos serviços regionais. Juntamente com as demais instituições e instâncias de pactuação e deliberação ou ainda por meio de fóruns e conferências deveremos aprofundar discussões como, o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários na perspectiva da prevenção, o reordenamento das instituições de acolhimento, a desinstitucionalização, as regiões metropolitanas e seus desafios, a ampliação de ações de atendimento para os outros públicos do SUAS, entre outros temas relevantes.

VEJA MAIS